O Dia que Fiz Biscoitos

13:13

Estava eu me recuperando de uma gripe daquelas, não aguentava mais ficar na cama e resolvi fazer biscoitos. Primeiro porque eu não tinha o que fazer e segundo porque às vezes (só às vezes) eu me canso das piadinhas de que eu não cozinho nada. Pura intriga da oposição, faço bolos ótimos.

Voltando aos biscoitos, é claro que não seria um biscoito qualquer,  e sim um biscoito do PINTEREST, famoso site de referências de coisas que nunca vamos ter ou tutoriais que nunca vamos conseguir fazer, não é mesmo? Ainda tem mais, quis fazer surpresa pro pessoal aqui de casa e resolvi fazer quando todos tinham saído.

Eis a receita:

1 xícara (chá) de açúcar 
3/4 xícara (chá) de leite 
1/2 xícara (chá) de chocolate em pó peneirado
6 colheres (sopa) de manteiga sem sal derretida 
1 colher (chá) de bicarbonato de sódio 
1 colher (chá) de essência de baunilha 
1/4 colher (chá) de sal 
1 ovo grande 
2 xícaras (chá) de farinha de trigo 

Modo de preparo: Reserve a farinha. Numa tigela misture bem todos os ingredientes, utilizando um batedor, até obter uma massa homogênea. Acrescente a farinha aos poucos até que desgrude das mãos. Deixe descansar em saco plástico na geladeira por 10 minutos. Depois abra a massa com o rolo e corte com cortador no modelo desejado. Coloque em assadeira forrada com papel manteiga. Leve para assar em forno pré-aquecido a 175ºC por aproximadamente 14 minutos. 

Primeiro fui checar se tinha todos os ingredientes em casa. Tinha. A farinha de trigo tinha umas três xícaras, no máximo, então dava, né? Já que a receita pedia só duas. A essência de baunilha tinha a quantia exata e o chocolate em pó também. Ótimo.

Misturei os primeiros ingredientes, sem a farinha de trigo e fui acrescentando aos poucos. Quando terminei de colocar a farinha de trigo achei que a massa ficou mole, mas como fiz conforme tinham mandado, coloquei na geladeira por dez minutos pra ver se ficaria melhor. Dez minutos depois não tinha feito diferença nenhuma (mais tarde pensei bem e sequer tinha gelado a vasilha). Daí resolvi colocar o restante da farinha de trigo que eu tinha. Nenhuma diferença. Pensei que eu podia colocar um pouquinho de amido de milho pra ficar mais firme e coloquei umas duas colheres. O negócio continuava mole. E como a receita dizia que eu teria que abrir a massa só pude concluir que não tava firme o suficiente pra isso. Tive que trocar de roupa e ir na padaria comprar mais trigo.

Pois bem, coloquei mais farinha de trigo e deixei mais dez minutos na geladeira enquanto preparava as fôrmas, nessa hora vi que precisaria de duas, já que a massa tava grande. Tirei da geladeira e comecei a abrir a massa com um rolo na bancada da pia. Claro que eu continuava colocando trigo pra parar de grudar na minha mão. Enchi uma fôrma de biscoitos nos formatos dos naipes das cartas de baralho e coloquei no forno elétrico, afinal seriam só 14 minutos, certo? Errado. Depois de 14 minutos os biscoitos haviam dobrado de volume, encostando uns nos outros e me deixado desesperada, pois continuavam moles. Ninguém me disse que eles iam crescer. Não tinha o que fazer, deixei lá por mais 10 minutos, que viraram 45. Isso mesmo, o biscoito assou por uma hora, que foi quando eu achei que eles estavam completamente assados e não iam ficar moles por dentro. Coloquei a outra leva no forno convencional mesmo e foi mais uma hora e mais uma forma depois. Sim, três.

No meio tempo o pessoal chegou em casa, provou o biscoito e disse que tava bom. Tadinhos. Tava sem graça, sabe biscoito que falta alguma coisa? Provavelmente o trigo sugou todo o sabor dos outros ingredientes devido a quantia absurda.

Depois de algumas horas os biscoitos não ficaram moles, como eu tinha medo que ficassem, nem perto disso, estavam tão crocantes que me lembravam biscoito pra cachorro. Quando comentei isso aqui em casa todo mundo concordou. Traíras.

Tive que tirar o pin do meu painel no Pinterest.

You Might Also Like

0 comentários